Petrobras, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e Jongo da Serrinha convidam

No dia 29 de novembro o Grupo Cultural Jongo da Serrinha vai inaugurar sua nova sede em Madureira. Com cerca de 2000m², este Centro de Cultura, localizado no pé do Morro da Serrinha, vai ser equipado com cine-clube, galerias, telhado verde, salas de dança, estúdio musical e escola de artes multi-linguagem para atender um público de todas as idades.

Às 9 horas vamos nos encontrar na Rua Compositor Silas de Oliveira, para subir até a nova Casa do Jongo. Vejam aqui a programação completa:

9:00 -Na padaria Brilho do Sol, esquina da Av. Edgard Romero com Silas de Oliveira, será organizado o cortejo como uma mini Escola de Samba com vários convidados como bateria do Império Serrano, porta bandeira e mestre sala, velha guarda, Escola Mirim Império do futuro e blocos convidados como Cordão do Boitatá, Rio Maracatu, Bangalafumenga. Pediremos as todos que venham vestidos de branco.

Chegada a Casa. O Prefeito Eduardo Paes e a Tia Maria do Jongo vão cortar a fita para a abertura oficial da Casa do Jongo com presença de dignidade da Serrinha e do Rio de Janeiro. Vamos oferecer a todos um café da manhã e a casa será toda aberta para visitação.

Em 2013, a Prefeitura cedeu para o Jongo da Serrinha o imóvel na Serrinha e está em fase final de sua reforma, seguindo um projeto criado pelo Jongo da Serrinha em parceria com a Empresa RUA Arquitetos.  Este novo espaço será também complementar para as duas escolas  e duas creches públicas da Serrinha, além de ser uma referência do patrimônio imaterial fluminense, cujo impacto será para além do denso bairro de Madureira. A Casa estará em rede com Universidades, Instituições do Poder Público e Privado e países estrangeiros com foco na África.

O projeto Jongo em Concerto, ligado ao Programa de Pós-graduação em Música da UFRJ (PPGM-UFRJ) sob a coordenação e produção do compositor e pesquisador Filipe de Matos Rocha promoverá uma mostra de música de concerto durante a inauguração.O programa deste concerto contará com a participação de intérpretes e compositores envolvidos em pesquisas relacionadas a temática negra/afro-brasileira refletindo assim num repertório inteiramente dedicado a essa temática.

A Sala de Dança vai ser inaugurada com uma apresentação do Grupo Afro Agbara Dudu, fundado no bairro de Madureira em 4 de abril de 1982. O nome Agbara Dudu significa em yorubá “Força negra”. Considerado o primeiro Bloco Afro do Rio de Janeiro, ainda que existissem três anteriormente: Afoxé Os Filhos de Gandhi do Rio de Janeiro (fundado por trabalhadores da zona do Cais do Porto do Rio de Janeiro), Dudu Éwe, do Morro da Mangueira, fundado em 1980 e o Afoxé Terê Babá (fundado no Largo das Neves, em Santa Teresa).

Será servida uma feijoada até às 16h30 para cerca de 800 pessoas

Para começar a grande roda de música na tarde, iniciamos com uma roda de samba tradicional e acústica. A Roda de Samba na Serrinha, organizada pelos Imperianos que cuidam do Museu Virtual do Império Serrano, acontece todo mês no ultimo domingo: “Vamos louvar o Samba, os Ancestrais, a África com suas Áfricas que nos fizeram Brasil…”

A Serrinha tem uma nova geração de músicos, jongueiros, sambistas e percussionistas que honrar a grande tradição dessa comunidade e levam o talento e a música da Serrinha para o mundo afora. A tarde continua com mais rodas, mais sambas e mais fervo.

Grande apresentação do Jongo da Serrinha liderado pela nossa Tia Maria do Jongo, as cantoras e os músicos da Serrinha. Criado no final dos anos 60 é uma referência da cultura carioca tradicional e seu trabalho artístico, contínuo e independente, levou o jongo a diversos países e cidades brasileiras e fez o ritmo ser conhecido por todo país